Divulgação Do Patrimônio Cultural De Paraguaçu 2018

104

Motivação do Inventário: A edificação em questão está situada no núcleo de formação inicial de Paraguaçu, na Praça Oswaldo Costa. Acredita-se que tenha sido erguida em período anterior à 1917. Desde a primeira metade do século XX, a edificação vem sendo utilizada para fins comerciais, o que permanece até os dias de hoje. Devido à sua importância histórica e arquitetônica no contexto de urbanização paraguaçuense é que o bem foi inventariado como patrimônio cultural.

Motivação do Inventário: A edificação foi construída na década de 1920 pelo construtor Zeca Pereira. Ao longo do processo de urbanização de Paraguaçu, o imóvel possuiu utilização mista, servindo como moradia e comércio. O local foi sede de Cartório, loja de tecidos, armazém de secos e molhados, farmácia e bazar de aviamentos. Devido a sua importância histórica, arquitetônica e cultural, o bem localizado no entorno do bem tombado Praça Oswaldo Costa foi inventariado como patrimônio de Paraguaçu. Infelizmente, o bem foi demolido em 2012.

           

 

Motivação do Inventário: O imóvel foi erguido por Manoel Ferreira Prado, figura de destaque e influência em Paraguaçu. O casarão foi vendido na década de 1930 para o famoso médico paraguaçuense Esdras Olinto do Prado e, posteriormente, na década de 1940, para Iramaia Fonseca do Prado, o famoso Mazico que, além de homem público, foi empresário de destaque e esteve envolvido nos maiores empreendimentos citadino, como homem de confiança de Oswaldo Costa. O projetista da bela edificação foi Virgílio Borim. Devido à sua importância histórica, estética e arquitetônica é que o bem foi inventariado como patrimônio de Paraguaçu.

Motivação do Inventário: O imóvel é um dos poucos inseridos no estilo neocolonial mineiro no conjunto da Praça Oswaldo Costa. Não se sabe ao certo seu período de construção, mas estima-se que seja no primeiro decênio do século XX. O local serviu como Coletoria Estadual e, desde 2006, foi sede de diversos empreendimentos no setor gastronômico. Devido à sua relevância histórica e arquitetônica é que o bem foi inventariado como patrimônio cultural de Paraguaçu.

Motivação do inventário: A belíssima edificação integrante do entorno do conjunto paisagístico da Praça Oswaldo Costa foi construída em 1932 e teve como engenheiro responsável Pedro Quintino da Fonseca, formado no Texas/EUA, e do construtor Virgílio Borim. Pertencente à família Paiva Tavares, a edificação encanta a todos com a sua beleza e imponência. Devido à sua importância histórica, estética e arquitetônica é que o bem foi inventariado como patrimônio cultural de Paraguaçu.

Motivação do inventário: A edificação no estilo neoclássico, construída no século XX, localizada à Praça Oswaldo Costa (bem tombado), funcionou como residência, escola infantil e consultório médico. Devido à sua importância histórica, estética e arquitetônica é que o bem foi inventariado como patrimônio cultural.

Motivação do inventário: O Paraguassu Hotel ou Hotel Paraguaçu possui continuidade predial com o Teatro Municipal, ambas as construções com referências ao estilo rococó e art-decó. Localizado à Praça Oswaldo Costa, o hotel foi inaugurado em 1943 como empreendimento do ilustre Oswaldo Costa. Devido à sua importância histórica, estética e arquitetônica é que o bem foi inventariado como patrimônio de Paraguaçu e indicado para Tombamento.

 

Motivação do Inventário: A edificação foi construída na década de 1940, nas imediações da Praça Oswaldo Costa e está intimamente ligada ao processo de urbanização e modernização de Paraguaçu no mesmo período. Erguida em 1941, teve como primeiro proprietário o comerciante Luiz de Almeida Prado e sua esposa Glória Leite Prado. Devido à sua importância histórica e arquitetônica é que o bem foi inventariado como patrimônio cultural de Paraguaçu.

Motivação do Inventário: O marolo é uma fruta típica do cerrado que está intimamente ligada à identidade do paraguaçuenses, popularmente conhecido como “maroleiro”, devido a grande produção da fruta na localidade. A Festa do Marolo foi criada para promover e divulgar o marolo, seus derivados e as histórias e memórias relacionadas à fruta. Devido à sua importância histórica e cultural é que o bem foi inventariado pelo município com indicativo de Registro.

Motivação do Inventário: A Capoeira é considerada Patrimônio Imaterial brasileiro e reconhecida, também como patrimônio cultural, pela UNESCO. Em Paraguaçu, as rodas de capoeira se tornaram frequentes a partir de 2014, com a chegada à cidade do capoeirista Kadu. Desde então, vem crescendo e contando com a participação da comunidade, seja como apreciadores ou iniciantes na arte da capoeira. Devido à sua importância histórica e cultural não só para Paraguaçu, mas para o Brasil, é que o bem foi inventariado e indicado para Registro Federal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here